Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estúpido Aluga-se

A estupidez é o nosso melhor produto, por isso para exportação é favor contactar o Estúpido. https://www.facebook.com/ricardo.santos.5095

Estúpido Aluga-se

Félix e a lenda dos ignóbeis de lugar cativo.

Uma vez mais vamos ter os Vieiristas em bicos de pés pela maior venda da história do futebol Português e até ver a quarta a nível mundial, mas estamos a falar do mesmo presidente que vendeu Bernardo Silva (para mim o jogador português mais brilhante após Cristiano Ronaldo) por 15 milhões de euros e para isso não foi necessário “ter tomates”.

Apesar dos 10% do Veiga (chamado a mediar um produto que se vendia por si só) os 120 milhões de euros foram um valor excepcional para um jogador brilhante mas que ainda tem muito a provar, eu a nível pessoal se o jogador tivesse sido transacionado por metade do preço tinha sido excelente, por essa razão desculpo o envolvimento de Veiga no negócio caso não se venha a comprar alguns dos refugos da lista do super-agente FIFA.
Mas o que temos de reforçar são os numerosos rebanhos de opinadores que populam na comunicação social que tentaram denegrir e até influenciar para que o negócio Félix não chegasse a bom porto, acontece que temos de ver isto em dois planos, primeiro são os medíocres putativos de azul e branco que tentaram de todas as formas descredibilizar a transferência de forma a encapotar os fracassos próprios de quem não tem dinheiro para negociar jogadores nem de segunda linha, desta forma a comunicação do Futebol Clube do Porto tentou através dos meios habituais entreter os adeptos com noticias contraditórias de forma a desviar o olhar da nulidade de contratações que pelo Dragão grassa, em segundo, os verdes e branco que tendo um activo como Bruno Fernandes na bucket list dos tubarões europeus vão ter muito provavelmente que vendê-lo abaixo da cláusula e essa possível venda vai ser sempre comparada com a intransigência dos vizinhos da 2ªCircular, algo que coloca a direcção de Varandas na corda bamba.
No final acabamos por fazer enrugar o elitismo de pacotilha dos adversários, e isso meus amigos vale mais que 120 milhões de euros.

65611771_2410760472307371_6640828675879075840_n.jp

 

Filhos de um Deus menor.

Esta última jornada da (des)Liga teve a curiosidade de colocar de cabeça de fora os ditos “honestos da bola”, curiosamente são os mesmos onzeneiros que semana a semana são empurrados pela APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) para a liderança partilhada com o Sport Lisboa e Benfica, aliás, desde a derrota no Dragão que a frequência dos protestos iguala a das ajudas, e este é que é o dilema.
O Benfica ao igualar o fêcêpê deu a possibilidade aos cartilheiros de riscas verticais e horizontais a certificação para uma coluna vertebral gelatinosa, e é sempre agradável ver aos pulhas das tvs a gordura em vez de massa cinzenta no recheio da caixa craniana. 
Continuem a coaxar fábulas, é esse o meu desejo para as jornadas que faltam.

Vai-se a ver, e ainda somos nós os culpados

O Benfica actual (com Lage) é a prova que a nossa Academia devia ser o alimento base do clube e não apenas uma fábrica de jogadores em série com preço base de 15 milhões de euros.
Os miúdos que hoje dão cartas no clube e além fronteiras, são os mesmos que na mão de um tal Messias de nome Jesus tinham de "nascer 10 vezes" para conseguir um lugar no 11 do manto sagrado.
Hoje lia um portista no twitter a dizer algo como e passo a citar:
“acredito que o Benfica é actualmente dos piores clubes para um jovem talento jogar na equipa A. São tão desproporcionalmente bajulados que metem os putos sobre brasas.”.
Somos dos piores clubes para jovens talentos, isto dito por alguém que viu no último jogo para a Liga Portuguesa contra o Tondela o FC.Porto começar com nenhum jogador formado no clube e que acabou com apenas o jovem (23 anos) André Pereira, não deixa de ser relevante quando o Sport Lisboa e Benfica começou com três jovens abaixo dos 21 anos e terminou o jogo com Rúben Dias (21 anos), Florentino Luís (19), Jota (19) e João Félix (19) em campo. 
Este tipo de portistas gostam de seguir o estilo truculento de Pinto da Costa, Conceições e J.Marques que é uma forma, pensam eles, de se afirmar num estilo corrente do Contumil.
Na ausência de ideias, multiplicam-se declarações provocatórias e passa-se das declarações aos actos, como a do doping, que afinal foi rapidamente colocada de parte com a chegada de um jogador de azul e branco que teve uma recuperação quase milagrosa, daquelas dignas de avaliação católica para posterior canonização.
Marx um dia escreveu que “um homem com fome não reconhece a forma abstracta do pão”,  com a bola é igual.
Espero sinceramente que a política de integrar jogadores vindos da formação seja para manter e não para vender, ou seja, vender sim mas com a maturação certa.

Estúpido Aluga-se para o Ninho das Águias

Capturar.PNG

 

O medo da coragem.

A reflexão luminosa de Luís Filipe Vieira em relação a Rui Vitória foi morosa e isso até o mais indefectível defensor do sonso concorda.
Lage fez deste Benfica o rigor da ironia, o carácter de intervenção na forma como aborda cada jogo, criou uma quase insuperável qualidade oficinal na forma como aglutina a experiência com a juventude, e tem um diálogo 
impermeável ao demagógico, algo que irrita os nossos adversários e comunicação desportiva em geral.
Com Lage ninguém baixa os braços, com Lage não se defende resultados tangenciais, com Lage o pormenor nunca se distrai, e principalmente tem um grau de exigência, de rigor, que é um valor acrescentado. 
Irá perder jogos, faz parte caros consórcios, mas prefiro perder a lutar que a andar de escroto apertado.

Capturar.PNG

 

O pequeno Génio.

Para muitos Benfiquistas, Eusébio da Silva Ferreira será o expoente máximo dos jogadores com o manto sagrado, é compreensível, mas para este vosso amigo, Fernando Chalana foi o jogador que mais apreciei com as cores do manto vestido.
Como não lembrar aquelas 56 jornadas consecutivas sem derrotas pela mão de John Mortimore, onde o pequeno génio marcou 15 golos (onde pontificaram os golos ao Sporting Clube de Portugal e Futebol Clube do Porto), apenas a ser ultrapassado pelo calções limpos “Néne” com 31 golos.
A sua velocidade com e sem bola era deliciosa, as suas deambulações um bailado, era um jogador de fino recorte técnico que tinha no seu bigode a sua imagem de marca, bigode esse que o fez ganhar a alcunha de “Chalanix”, nome que o barreirense ganhou no Bordéus, pela sua altura e bigode fazerem lembrar Astérix, a sua venda permitiu ao Sport Lisboa e Benfica fechar o terceiro anel do Estádio da Luz, graças à entrada de 300 mil contos (1,5 milhões de euros).
Foi no entanto o primeiro jogador a sentir o peso dos media fora dos relvados devido ao seu truculento relacionamento com Anabela.
Hoje ficámos a saber que Fernando Chalana sofre de Alzheimer, uma doença degenerativa  que irá certamente deixá-lo sem estas memórias, mas nós Benfiquistas nunca te vamos esquecer.

Capturar.PNG

 

RV o cagão beócio.

O único título europeu que Luís Filipe Vieira pode almejar com Rui Vitória é uma qualquer acusação acabar no Tribunal Europeu.

Rui Vitória foi uma espécie de ás para o Fátima, um duque para o Vitória Sport Clube e palha para o Sport Lisboa e Benfica, é o que o povo chama “um cobardolas” que mete os pés pelas mãos no terreno de jogo ao ser confrontado com decisões que despem as tarouquices do seu argumentário.

Se o objectivo é ir para a Liga Europa, os meus parabéns ao treinador e restante staff, mas atenção que nem a continuação nas provas europeias é pêra doce, esta equipa com outro treinador dava mais, valia mais, e seria uma equipa sem medo, porque as inseguranças da equipa só reflectem o INCOMPETENTE que tem no banco.

Falta neste momento (como diria o Demétrio Alves) um líder, alguém que faça as coisas certas de forma eficaz, que inove e desenvolva, que tenha uma visão de médio e longo prazos, desafie o status quo, corra riscos, busque a mudança, inspire os outros pela palavra e pelo exemplo, tome a iniciativa, focalize as pessoas, planeie e desenvolva visões e estratégias e, finalmente, que enfatize a filosofia e os valores essenciais do clube.

Sabe-se que não há sistemas perfeitos no futebol e todos contêm imperfeições, mas tenho a forte convicção de que aquilo que vemos actualmente é o que povo apelida de “cagão beócio”, Rui Vitória devia ter saído pela porta grande e vai acabar por sair pela porta pequena com um pé de chumbo na regueifa.

Capturar.JPG

 

O heróis do Sec.XXI

O pessoal dos blogues anda à rasca, o confortável anonimato começou por ser a exposição de ignorância embrulhada em arrogância para crime, e esse é o busílis da questão.
A procura incessante por protagonismo entre os seus pares levou a que o massajado ego fosse mais forte que a razão.
Agora que o dito anonimato está por um fio já começaram a pensar na família, até à data era só heróis de teclado, agora são pais de família preocupados com o bem estar das mesmas.
Como diz o povo "com as calças do meu pai sou um senhor".

230380_472916432758461_1908941012_n.jpg

 

Limpar o futebol é possível, mas era necessário TOMATES.

O futebol do campeão europeu em título está cada vez mais parecido com a Camorra, independentemente da cor clubística, o boémio Charles Baudelaire escreveu num dos seus poemas uma palavra muito interessante “Spleen” Walter Benjamin descreve-a como o sentimento que corresponde à catástrofe em permanência, e isto é a Liga Portuguesa de Futebol na actualidade.
Limpar o futebol português é de facto possível, mas como o título deste post afirma “é necessário tomates”, a única forma de repor a credibilidade é relegando para a Liga Ledman os três grandes do futebol  nacional, Sport Lisboa e Benfica, Futebol Clube do Porto e Sporting Clube de Portugal e afastando as suas respectivas presidências, com este acto os sanguessugas e parasitas que ladeiam os clubes e SADs começam a fugir que nem ratos.
O futebol português vive num constante caleidoscópio, quando se roda o tubo, os cristais transformam a desordem numa nova ordem desordenada, e isto é a síntese da Federação Portuguesa de Futebol, Liga e Justiça em geral.
Com a descida dos três principais clubes e com a subida à primeira liga apenas a ser possível para dois deles, estavam reunidas as condições para uma segunda liga entusiasmante e uma primeira liga a respirar mais honestidade.
É óbvio que isto iria trazer danos monetários aos clubes, liga e por consequência à Federação Portuguesa de Futebol, e essa é a razão da falta de tomates…dinheiro.
Temos ainda que falar da força que a comunicação social detém em todas as estruturas da sociedade tendo no futebol a sua principal força, basta perceber que a bola faz mais de metade das noticias e manchetes e com elas share, desta forma continuamos numa de “there is no alternative”.
A solução que aqui elaboro é mera semântica, razão pelo qual a maioria dos adeptos não a aceitaria, porque a honestidade tem um preço, e nem todos têm capacidade para assumir a sua quando a causa é o nosso clube do coração.

Estúpido Aluga-se no Blog Ninho das Águias

Capturar.JPG

 

Ninho das Águias

Eis um novo projecto onde estarei com mais 10 malucos pelo Benfica.
https://ninhodasaguias.eu/2018/05/21/a-minha-seleccao-nacional-e-o-sport-lisboa-e-benfica/
Pode parecer estranha esta minha observação pouco patriota, mas a verdade é que apesar de desejar o melhor à nossa selecção não vibro com ela.
O mundial de futebol na Rússia está aí à porta e faço questão de fazer este artigo no dia em que a Federação Internacional de Futebol (FIFA) iguala os anos do Sport Lisboa e Benfica.
Muitos benfiquistas têm a selecção como um segundo amor, mas a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) tem o mesmo sentimento para connosco, o primeiro jogo oficial da equipa das quinas ocorreu a 18 de Dezembro de 1921, a estreia da mesma num campo (estádio) do Sport Lisboa e Benfica só ocorreu em 1971 (17 anos depois da inauguração do Estádio da Luz), o Benfica desde a estreia da Selecção Nacional teve a Quinta de Marrocos, Amoreiras, Campo Grande e Estádio da Luz para receber os jogos da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), sendo que a mítica catedral foi inaugurada em 1954 e o primeiro jogo da Selecção das Quinas apenas ocorreu em 1971.
Mesmo ignorando a ausência até 1954, é curioso perceber que durante a década mais vitoriosa a nível europeu e na qual o Sport Lisboa e Benfica foi a par do Real de Madrid o clube mais importante da Europa (tendo atingido nesse período cinco presenças em finais em oito anos na Taça dos Clubes Campeões Europeus), foram 17 anos de ausência numa altura em que muitos gostam de recordar como sendo o período do antigo regime (o tal que era dominado pelo Benfica) mas que tinha nas estruturas governativas e federativas os mais altos elementos do estado novo que vestiam de azul/verde e branco.
A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) foi reconhecida na Europa através do Sport Lisboa e Benfica e não vice-versa, estamos a falar de uma federação que acolhia campeões e bi-campeões europeus e que jogava exclusivamente nos estádios do Futebol Clube do Porto, Sporting Clube de Portugal e Clube de Futebol “Os Beleneneses” e obviamente o Estádio Nacional (pertença do Estado), era este o reconhecimento que a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) nos dava em troca.
Quando olho para os portugueses que colocam nos carros como símbolo de identificação nacional o logo da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) até fico com os “azeites”, se forem do meu clube então nem percebo, Portugal é a sua bandeira e não um logo de uma entidade que nunca ou quase nunca respeitou o Sport Lisboa e Benfica, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) se goza hoje de reconhecimento internacional deve-o ao clube que nas décadas de 60/70 carregou o nome de Portugal pelo Mundo.
Hoje o Estádio da Luz vive na sombra de um amuleto para a Selecção Nacional, mas a história foi feita para ser contada e nunca esquecida, assim como os seus intervenientes, relembrar que jogadores como, Germano, Coluna, José Augusto, Fernando Cruz, Costa Pereira, José Águas, entre outros nunca jogaram com a camisola das quinas no seu estádio, e que Jaime Graça (1 jogo), Simões (2 jogos) e Eusébio (3 jogos) foram os únicos a fazê-lo sendo que o Rei Eusébio nunca marcou no Estádio da Luz com as cores da Selecção Nacional.
Por isso lamento se não celebro os golos da nossa Selecção Nacional com a mesma intensidade como os do Manto Sagrado, mas o meu ADN é do Sport Lisboa e Benfica.
Boa sorte para o Mundial.
Estúpido Aluga-se

slb3.3.jpg